Terça-feira, 29 de Janeiro de 2013

Os pés estavam doridos, afligiam-no os joanetes e as unhas encravadas. Tirou as botas, o guarda-chuva pousado ao lado. Sentou-se e tirou também as meias. O cansaço diluiu-se na aragem, o sono ameaçava chegar mais cedo.

Olhou e não viu banco de jardim. Mais uma noite desconfortável ao relento. Roubaram-lhe o cobertor há três noites, tem de procurar a carrinha da Assistência novamente.

Não se habitua a isto. Não sabe ser mendigo, não tem jeito para pedinchar. Nem para roubar. Por isso lhe dói tanto o estômago, nem sempre a fome se deixa enganar.

Era assim que lhe diziam que seria. Não era assim que ele pretendera que fosse. O casamento falhado, o emprego perdido, o filho que não conseguira ter. Avisaram-no: aquela mulher não prestava. E não prestava mesmo, ele é que tarde o descobrira.

Arruinara-o. Abandonara-o depois. Os credores é que não o abandonaram, levaram o que restara e o que não tinha. Por isso vivia agora na rua. Escorraçado como um cão, miserável entre os miseráveis.

Mesmo assim, perguntava-se muitas vezes por que não se suicidava. Seria fácil, havia por ali um rio perto. Quem se importaria com a morte de ninguém?

Mas o sol que todas as manhãs o despertava prometia-lhe calor que o aqueceria, luz que lhe guiaria os dias, iluminando-lhe o caminho. Caminho que percorria sem saber aonde o levaria, quando terminaria a caminhada.

Comia laranjas, havia muitas laranjeiras à beira dos caminhos. Matavam-lhe a fome, adoeciam-lhe o estômago. Mas o pior de tudo eram os pés. Os joanetes, as botas apertadas, as unhas encravadas…

O caminho não era fácil de percorrer, nem a esperança fácil de alcançar. Mas ele levava esse desejo consigo, juntinho ao coração. Um dia, sabia bem, ela deixar-se-ia alcançar.

 

Felipa Monteverde

 



publicado por Felipa Monteverde às 21:52 | link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Ailime a 30 de Janeiro de 2013 às 21:53
Boa noite Felipa, extraordinária narrativa! Intensa. Lê-se de um fôlego e é como se estivesse a ver como num filme todas as cenas da vida do personagem, que bem pode ser real. Tantos casos semelhantes que conhecemos. Genial, Felipa! Beijinhos e uma boa noite. Ailime


Comentar post

mais sobre mim
links
Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

Novo jardim

A moeda "falsa"

A crise dos outros

Manhã de sol

Paixão

No jornal

O homem

Um amigo

Sono

"Amigo é..."

arquivos

Janeiro 2016

Outubro 2015

Janeiro 2014

Novembro 2013

Setembro 2013

Abril 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

blogs SAPO
subscrever feeds