Quinta-feira, 1 de Outubro de 2015

Sentei-me na esplanada do café.
Mandei vir um café. Paguei-o, entregando
uma moeda de um euro que retirei do porta-moedas
e da qual recebi troco. E afinal era uma moeda falsa!
O empregado veio perguntar-me se sabia onde a tinha recebido
se sabia quem ma tinha dado, porque era falsa.
Já ouvi de falar de notas falsas, agora moedas!

Era uma moeda velha e amachucada
cá para mim foi por isso que ele não a quis.
Disse que até no peso se notava, que a falsa era mais leve,
que o material não era o mesmo e (para que eu não
me pusesse com ideias) que nem a máquina dos cigarros a aceitaria.
Não acreditei, claro, ele não queria era ficar com uma moeda velha.
É que, se aquela moeda era falsa, já tinha enganado muita gente
pois tinha nitidamente anos de circulação.

Mas dei-lhe outra. E dali a uns minutos ele veio
trazer-me o troco. Troco?! Ele já me mo havia dado…
Desfiz o engano (mas hesitei…)
E ele deve ter ficado com cara de parvo
mas pelo menos ficou a saber que eu não pretendia enganá-lo.



publicado por Felipa Monteverde às 14:28 | link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
links
Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

Novo jardim

A moeda "falsa"

A crise dos outros

Manhã de sol

Paixão

No jornal

O homem

Um amigo

Sono

"Amigo é..."

arquivos

Janeiro 2016

Outubro 2015

Janeiro 2014

Novembro 2013

Setembro 2013

Abril 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

blogs SAPO
subscrever feeds